Seguidores

terça-feira, 31 de maio de 2011

Para lá do sonho...



Conta-me o teu sonho
e mantém-me acordado
quero sonhar em teu leito
num sonho feito
de amor e pecado...

Quero a transpiração do teu corpo
escorrendo no meu
sentir o odor
do amor
vindo do teu

Conta-me um segredo
e mantém-me a teu lado
não tenhas medo
o amor é feito
de sonho e fado...

Quero os teus sonhos
o teu corpo molhado
e ao romper da madrugada
quero ser amado
para lá do amor sonhado...

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Quer Pouco: Terás Tudo


Quer pouco: terás tudo.
Quer nada: serás livre.
O mesmo amor que tenham
Por nós, quer-nos, oprime-nos.

Fernando Pessoa

domingo, 29 de maio de 2011

Literatura



Sinopse.

É uma noite de temporal. A noite do acidente. Há uma gota de água suspensa num estilhaço de vidro que teima em não cair. Há um instante que se eterniza. Reflectida na gota, Violeta mergulha nessa eternidade e recorda o que pode ter sido o último dia da sua vida, e nesse dia, toda a vida, e nessa vida, os pais, a filha, a criada, o bastardo, e em todos, a urgência da vida que prossegue indiferente como a estrada de onde ainda agora se despistou. Nessa posição instável, de cabeça para baixo, presa pelo cinto de segurança, parece que tudo se desamarra. O presente perde a opacidade com que o quotidiano o resguarda e Violeta afunda-se nos passados de que é feita, uma espiral alucinada de transparências e ecos. Violeta vira uma esquina (ou será uma página?) e a revolução de Abril irrompe, empunhando a raiva do bastardo. Abre uma porta (talvez um parágrafo) da casa vazia e a mãe chama por ela enquanto o pai enlouquece lá fora, no quintal. Um homem afoga o desejo no corpo dela (vírgula, de certeza) e a menina dos patins desliza à frente da filha que perde a vida como caixa de hipermercado. A criada, como sempre, está calada (ponto final).

sábado, 28 de maio de 2011

"Metamorfose."




Por aí
sentiremos o vento
que nos refresca e acalma
nos dá alento
para que o vazio se possa transpor
nos leve ao interior da nossa alma
que nada se possa opor
e tudo em nosso redor
se transforme em amor...

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Informação.




Últimamente não temho conseguido comentar em alguns blogs,senhas para aqui, passwords para acolá e nada.
Hoje recebi por email do querido amigo Henrique Antunes Ferreira do blog:http://aminhatravessadoferreira.blogspot.com esta informação que me apresso a publicar .



Amigos,

O problema é com o blogspot, mesmo.
Paciência, vamos esperar... O que mais nos resta?
bjs a todos.



Ao que parece, este bug pode estar relacionado com outro que está impedindo usuários de comentarem em blogs do Blogger usando qualquer uma das opções de login; a equipe do Blogger já divulgou informações sobre esse bug nos canais oficiais.

Terça-feira 24 de maio, 2011
Nós estamos investigando um problema que está impedindo o login e postagem de comentários de alguns usuários, e esperamos ter uma correção liberada em breve.
BLOGGER
Obrigado pela sua paciência durante esse período.



Recomendamos também que você limpe os cookies e o cache do navegador no qual estava usando o Blogger pois, desta forma, você terá certeza que o próximo a usar o computador não terá acesso a sua conta.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Por aí...




Vem preenche o vazio
que há em mim
dá-me a mão
junta o teu ao meu silêncio
abraça a minha solidão
e na ausência do amor
de mãos dadas
caminhamos por aí...

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Quando o Meu Amor Vem Ter Comigo


Quando o meu amor vem ter comigo é
um pouco como música,um
pouco mais como uma cor curvando-se(por exemplo
laranja)
contra o silêncio,ou a escuridão....

a vinda do meu amor emite
um maravilhoso odor no meu pensamento,

devias ver quando a encontro
como a minha menor pulsação se torna menos.
E então toda a beleza dela é um torno

cujos quietos lábios me assassinam subitamente,

mas do meu cadáver a ferramenta o sorriso dela faz algo
subitamente luminoso e preciso

—e então somos Eu e Ela....

o que é isso que o realejo toca


(E. E. Cummings)

domingo, 22 de maio de 2011

O Amor não Tem nada que Ver com a Idade




O Amor não Tem nada que Ver com a Idade Penso saber que o amor não tem nada que ver com a idade, como acontece com qualquer outro sentimento. Quando se fala de uma época a que se chamaria de descoberta do amor, eu penso que essa é uma maneira redutora de ver as relações entre as pessoas vivas. O que acontece é que há toda uma história nem sempre feliz do amor que faz que seja entendido que o amor numa certa idade seja natural, e que noutra idade extrema poderia ser ridículo. Isso é uma ideia que ofende a disponibilidade de entrega de uma pessoa a outra, que é em que consiste o amor.

Eu não digo isto por ter a minha idade e a relação de amor que vivo. Aprendi que o sentimento do amor não é mais nem menos forte conforme as idades, o amor é uma possibilidade de uma vida inteira, e se acontece, há que recebê-lo. Normalmente, quem tem ideias que não vão neste sentido, e que tendem a menosprezar o amor como factor de realização total e pessoal, são aqueles que não tiveram o privilégio de vivê-lo, aqueles a quem não aconteceu esse mistério.

José Saramago,

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Ah! como é bom te amar...



Á minha volta
sinto o flutuar do teu perfume
cheiro a maresia do teu amar
envolto num mar de sonhos
corpo sal do meu mar...

Salgado de amor
teu corpo mareja
perfumado com as marés
boca que me beija
enlaça na dança do convés...

Abraço o mar
abraço-te nas vagas do meu sonhar
teu corpo flutua
pele sedosa nua
ah! Como é bom te amar...

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Amar é...




"Amar é conhecer mais do outro do que ele sabe de si próprio, e descobrir que ele conhece mais de nós do que nós mesmos."

segunda-feira, 16 de maio de 2011

O tamanho do amor...




"É no fim do amor que se descobre o (seu) tamanho. Quando acaba.
Antes não se lhe consegue tirar as medidas."

domingo, 15 de maio de 2011

Desafio...


Desafio proposto pela minha querida amiga Denise do blog:

http://baliar.blogspot.com


As perguntas e as minhas respostas são estas:


01. Pegue o livro mais perto de você, abra na página 18 e encontre a 4ª linha:

R:"Ele retirou-se para a casa de banho decorada de forma balzaquiana.
(do livro Deixei o meu coração em África de Manuel Arouca.)

02. Estique seu braço esquerdo o mais longe que puder. O que você encontra?

R: Vazio.

03. Qual foi a última coisa que assistiu?

R: O nascer da noite.

04. Sem olhar o relógio, que horas você acha que são?

R: 21.20.

05. Agora, olhe no relógio. Que horas são?

R: 21.41.

06. Sem contar o barulho do computador, o que mais está ouvindo?

R: O telejornal no canal TVI.

07. Quando foi a última vez que saiu? Onde foi?

R: Hoje.Tomar o café habitual de todas as manhãs de domingo.
Obs:No café Expresso Brasil na cidade de Antwerpen.

08. Antes de começar esse questionário, o que estava fazendo?

R: Atualizando a visita a todos os blogs que me seguem.

09. O que tá vestindo?

R: Pijama.

10. Você sonhou a noite passada?

R:Dormi na paz dos anjos.

11. Quando foi a última vez que você deu risada?

R:Agora mesmo.

12. O que acha da pessoa que te indicou este desafio?

R: A Denise é encantadora,mãe e vovó babada,de uma elegância e distinção fantástica.

13. Viu alguma coisa esquisita há pouco tempo?

R:todos os dias vejo coisas esquisitas,o mundo está a ficar louco...

14. Qual foi o último filme que você assistiu?

R:“Como Desenhar um Círculo Perfeito”

Obs:É uma história de incesto entre dois irmãos gémeos que vivem numa mansão com regras diferentes do mundo que os rodeia.

15. Se você se tornasse milionário da noite para o dia, o que compraria?

R:Um barraco junto ao mar.

16. Uma coisa sobre você que eu não saiba.

R:Estou a ficar careca,rsrsrs.

17. Seu estado de espírito agora?

R:Tranquilo.

18. Se você pudesse ser qualquer mulher ou homem famosa(o
), qual seria?

R: Eu próprio

19. Imagine que seu primeiro filho seja uma menina, como a chamaria?

R:Tereza.

20. Imagine que seu primeiro filho seja um menino, como o chamaria?

R. Carlos

21. Você pensa em morar fora?

R:Já moro fora.

22. O que você mais quer agora?

R:Paz e amor para o mundo.

23. Qual a pessoa mais importante na sua vida?

R:os meus dois filhos,Carlos e miguel e os meus netos,Laura e Rafael.

24. Qual seu sonho para curto prazo?

R.Saúde para que possa gozar a vida quando me reformar.

sábado, 14 de maio de 2011

O primeiro beijo.



"Chamamos céu
àquele azul, depois
do primeiro beijo."

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Amor incandescente.



Encanto
sedução irresistível
feitiço de encantar
magia
de um amor indivisível
integral
exuberante
virginal...
Extasiado
embevecido e fascinado
por um amor ardente
que sufoca
inquieta
numa ansiedade demente
que arde
que queima
intenso
vivo
violento
amor incandescente...

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Literatura.



"Este livro é um relato de todas as mulheres
que cabem em mim,em todos nós.

Todas elas sempre conviveram dentro do nosso corpo e
de nossa alma,mas só agora,na maturidade,deixa-
mos que aflorem,cada uma com a sua força,seus defeitos,
seus ensinamentos,suas chatices.Somos todas parte da
mesma natureza feminina,um mundo de hormônios a fervilhar
a vida toda,que, de repente,param e nos deixam sós conosco mesmas.
Mas a ausência deles não nos esvazia,pelo contrário,nos faz
enxergar.ou pelo menos deveríamos,como somos belas plenas e elaboradas.

Nenhuma mulher passa incólume por esse limiar:cabe a cada uma
tirar o melhor de si mesma,aprendendo os modos de (se)usar a menopausa e a maturidade."

(Autora Gloria de Leão.)



Para se identificar melhor com a autora visite o blog:

http://cafecomglorinha.blogspot.com

Obs:Quero agradecer á minha querida e amada Nilce do blog :http://www.nilceguerreira.com
a gentileza e amabilidade em enviar esta preciosidade.

Bem hajam.

terça-feira, 10 de maio de 2011

A Minha Biblioteca é o Meu Harém ...



Olho para as centenas de livros no meu gabinete e apercebo-me que não toquei na maior parte deles depois de os ter lido ou dado uma vista de olhos pela primeira vez. Mas nem sequer considero a hipótese de me desfazer deles - então, e se eu quiser abrir este ou aquele um dia destes? Gastei o meu último dinheiro tanto a adquirir novos livros como em prostitutas. Comprar livros novos é um prazer muito diferente do prazer de ler: examinar, cheirar, folhear um livro novo é a própria felicidade.
Os livros dão-me confiança pela sua disponibilidade, de que posso sempre aproveitar-me se quiser. O mesmo acontece com as mulheres - preciso de muitas delas e têm de se abrir à minha fente como os livros. Na verdade, para mim, os livros e as mulheres são semelhantes de muitas formas. Abrir as páginas de um livro é o mesmo que afastar as pernas de uma mulher - o conhecimento revela-se à nossa vista.

Todos os livros têm um odor próprio: quando abrimos um livro e cheiramos, cheiramos a tinta, e é diferente em cada livro. Rasgar as páginas de um livro é um prazer inenarrável. Mesmo um livro estúpido me dá prazer quando o abro pela primeira vez. Quanto mais esperto for, mais me atrai, e a beleza da capa não é importante para mim. Isto não é necessariamente verdade para as mulheres.
Tal como uma mulher se pode vir com qualquer homem habilidoso, assim um livro se abre a qualquer um que lhe pegue. Dará o prazer da sua sabedoria a quem for capaz de o compreender. Por isso sou cioso dos meus livros e não gosto de os dar a ninguém para ler. A minha biblioteca é o meu harém.

Alexander Puschkine, in 'Diário Secreto'

domingo, 8 de maio de 2011

Divagação...



Onde estiveres
lê este poema
que é para ti
é o sangue que me corre nas veias
um amor sem fim...

É um rio
que há dentro de mim
um vendaval
que me arrasta
para junto de ti...

É um sem fim de emoções
é o sentir em mim
parte de ti
o bater
dos nossos corações...

sábado, 7 de maio de 2011

Dia de ser mãe.


Maternidade


Escuta, sorrindo,
a morte que bate
de leve em seu corpo
com ávidos, doces
punhos da infância;
com beijos que vão
enchendo seu rosto
de tempo e ternura;
e alimenta, secreta,
a chama tranquila
que em seu ser ilumina
o mistério da vida.

Vítor Matos e Sá,

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Literatura.


Sinopse.

Um grande amor em tempos de guerra, a sedução de África e o retrato de um Portugal inesquecível...
Isabel recebe um manuscrito em condições inesperadas e misteriosas. O seu autor, Rodrigo, desaparecido há seis anos e dado como morto pelos seus amigos, relata as experiências e as vivências, os factos e as emoções, os encontros e os desencontros que marcaram a sua vida.
O leitor é levado numa viagem que o transporta aos loucos anos sessenta na alta sociedade lisboeta e o leva à sedução de África, continente misterioso que abre novos horizontes.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Andáva a Lua nos Céus



Andáva a lua nos céus
Com o seu bando de estrellas.

Na minha alcova,
Ardiam vellas,
Em candelabros de bronze.

Pelo chão, em desalinho,
Os velludos pareciam
Ondas de sangue e ondas de vinho.

Elle olhava-me scismado;
E eu,
Placidamente, fumava,
Vendo a lua branca e núa
Que pelos céus caminhava.

Aproximou-se; e em delirio
Procurou ávidamente,
E ávidamente beijou
A minha boca de cravo
Que a beijar se recusou.

Arrastou-me para Elle,
E, encostado ao meu hombro,
Fallou-me d'um pagem loiro
Que morrêra de Saudade,
Á beira-mar, a cantar...

Olhei o céu!
Agora, a lua, fugia,
Entre nuvens que tornavam
A linda noite sombría.

Déram-se as bocas n'um beijo,
- Um beijo nervoso e lento...
O homem cede ao desejo
Como a nuvem cede ao vento.

Vinha longe a madrugada.

Por fim,
Largando esse corpo
Que adormecêra cansado
E que eu beijára loucamente
Sem sentir,
Bebia vinho, perdidamente,
Bebia vinho... até cahir.

António Botto, in 'Canções'

terça-feira, 3 de maio de 2011

Voz activa




Canta, poeta, canta!
Violenta o silêncio conformado.
Cega com outra luz a luz do dia.
Desassossega o mundo sossegado.
Ensina a cada alma a sua rebeldia.

Miguel Torga,