Seguidores

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Escuta o silêncio que nos fala

Depois de tantas promessas basta-me o silêncio, a noite alonga-se na embriaguez dos nossos beijos. Jamais deixarei que morras dentro de mim e no percurso da tua pele descobrirei a maneira de te amar cada vez mais.

Manuel Marques (Arroz)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Os meus braços precisam dos teus...

Em silêncio contemplo o teu corpo belo
em silêncio te busco
em silêncio te amo loucamente...

Os meus braços precisam dos teus
porque nas trevas da noite
os nossos olhos não se encontram...

Manuel Marques (Arroz)

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Dou-te este poema no lugar de um beijo...

Ando por aqui como te procurasse
poderia seguir em frente ou ir por onde nunca fui
por ruas cheias de gente ou em todos os sentidos.

Caminho e os meus olhos perdem-se
falo de ti ao mundo
o silêncio da noite enlouquece-me...

Chego sozinho a toda a parte
e se mais nada me restar
dou-te este poema no lugar de um beijo...

Manuel Marques (Arroz)

domingo, 25 de dezembro de 2016

Se fosse o rio...

Queria estancar o rio que corre dentro de mim
onde corre a saudade do teu corpo
queria tanto falar-te e não consigo...

Se fosse o rio
abraçar-te-ia e não o deixava correr
amar-te-ia até  morrer...

Manuel Marques (Arroz)

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Ah,se meus lábios te pudessem acariciar...

Em quartos crescentes de desejos
noites cobertas de silêncio e de esperas
teus beijos ainda despertam em meus lábios...

És saudade e dor das noites que não são minhas
desejo que me consome na madrugada
ah,se meus lábios te pudessem acariciar...

Manuel Marques (Arroz)

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Não , o amor não morre quando a gente quer...

No teu corpo recomeça o mundo
a ti que te amei noutros corpos
amando-te...

Amando-te até que a madrugada nascesse
nas feridas que dóiem em noites de ausência
morrendo com os cheiros do pecado..

Em ti conheci o desejo, corpo que amei
tu és o mundo, o meu mundo ...
não , o amor não morre quando a gente quer...

Manuel Marques (Arroz)

sábado, 26 de novembro de 2016

Procurando o sonho...

Na imensidão do teu corpo anoitecido
tropeço na tua sombra e abraço-te
não sei se existes se te sonho...

Gostava de segredar-te as palavras que não ouso dizer-te
perder-me ,amando-te na nudez do teu corpo
percorrendo a estrada do desejo procurando o sonho...

Manuel Marques (Arroz)