Seguidores

sábado, 15 de Novembro de 2014

A solidão que o tempo vai deixando...



Aprisionada dentro do meu peito
a minha saudade  tem um mar de recordações
desde que nos separamos o tempo nunca mais parou...

Mas não importa o tempo que nos separa
há um  (a)mar que nos une
que importa o despertar
se na tua saudade
eu sinto o sabor salgado
da água dos teus olhos!


Contigo sonho e sofro
vives em mim
corres-me nas veias...


Manuel Marques (Arroz)

sábado, 8 de Novembro de 2014

Ninguém me roubará o sonho ...



No meu sonho tu  flutuas  a cada passo
sinto-te a cada instante
e é na noite que toco a tua pele ...


E no ondular do sono a memória procura-te
quero encerrar-te nos meus sonhos para te ter
trazer-te dentro de mim como um destino
e os meus sonhos sufocados terão a noite para te amar...


Manuel Marques (Arroz)

sábado, 25 de Outubro de 2014

O silêncio ajuste-se à tua forma !




Na vertigem de teu corpo
sonho-te e não sei como tocar-te
no céu da tua alma
o meu amor perdido
não sabe como abraçar-te...


Anda vem !
Dá-me o teu amor
abafa os ruidos do meu silêncio...


Manuel Marques (Arroz)

sexta-feira, 10 de Outubro de 2014

Só na solidão o tempo é nosso !


Nos teus lábios a noite
descreve o amor
para ti meu amor é cada sonho
dum tempo sem amor nenhum
eu te amo em nome do amor que não houve...


O teu corpo
é agora o vento
e só na solidão
o tempo é nosso...

Manuel Marques (Arroz)

sábado, 4 de Outubro de 2014

Dentro da noite !



Não é tanto a saudade que dói
o passado é um tempo que não passa
tudo em nós foi naufrágio...

é  o mar do tempo
os sonhos moribundos
o amar que perdi...

e neste falso silêncio
há-des permanecer nos meus olhos que não te vêem
e dentro da noite
regresso ao amor que não tenho...

Manuel Marques (Arroz)

sábado, 27 de Setembro de 2014

Olha bem os meus olhos !




Busco-te na poesia
em todas as esquinas do mundo
na manhã dos teus olhos
no teu corpo
nas águas transparentes e cristalinas
sofro por ti
a paixão traz a dor...


Olha bem os meus olhos
porque é de ti que me vem o fogo
que me queima...


Manuel Marques (Arroz)

sábado, 20 de Setembro de 2014

Envolvo-me no teu olhar...




Há em nós um sossego abstracto
será o medo de nos termos perdido...
em teu olhar me encontro
porque me alcança o teu olhar
quando te revejo em teu retrato...

Amo-te de um amor que tudo deseja
teu olhar é um sorriso de saudade
toca-me de tão longe
onde estão as noites que nos ensinaram a amar?

Envolvo-me no teu olhar
o amor substitui
o luar  que tudo ilumina...

Manuel Marques (Arroz)