Seguidores

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Somos partes perdidas de um só...


O tempo escoa-se no poema
poema onde te busco
em noites que nunca morrem ...

Já nada pode destruir o nosso amor
insustentável, único
somos partes perdidas de um só...

Manuel Marques (Arroz)

domingo, 24 de maio de 2015

Eu sou a noite tu és o sonho...


A noite chora no céu a nossa solidão
e nas noites da tua ausência
amo-te sem poder olhar os teus olhos...

Eu sou   a noite tu  és o sonho
o meu desejo de ti  é a   eternidade
e nas noites em que tu moras
corre-me no corpo a felicidade...

Manuel Marques (Arroz)

terça-feira, 19 de maio de 2015

Esta saudade tua e minha será sempre nossa...

Dói-me  a alma quando estou só
tu chegas e o tempo escoa-se como num sonho
amo-te,preciso de ti  para ser eu...

Ninguém conhece as noites como nós
entrego-te os meus sonhos,os meus segredos
desejo do teu corpo,noite de sedução...

e esta saudade tua e minha  será sempre nossa
vem, ama-me
além  de toda a solidão ...

Manuel Marques (Arroz)

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Num tempo teu e meu...


Agitada pelo vento a noite vai sumindo
fogem-me por entre os dedos os instante do amor
recordações perdidas do que nunca existiu...

Em cada noite , cada sonho
há uma viagem que ultrapassa o tempo
num tempo teu e meu
de eternidade...


Manuel Marques (Arroz)

terça-feira, 12 de maio de 2015

Noites que correm dentro de mim...


Debruce-me sobre os teus lábios
quebrando o meu silencio
não sei se existes ou se te sonho...

Meu corpo alimenta-se do meu desejo de ti
e no escuro vazio do teu olhar
repousa a ilusão das noites que correm dentro de mim...

Não tarda que o luar amanheça numa alvorada nua
mas o teu corpo existe
para lá dos sonhos ,para lá da noite
para lá da Lua...

 Manuel Marques (Arroz)

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Cais...

Há um resto de ti ,que ainda arde para além das chamas
e  são tantos os silêncios do amor
não sou mais que um cais de partidas...

Como resta ainda nesta noite a  ilusão
o meu caminho são todos os teus passos
 a madrugada e esta solidão…

Manuel Marques (Arroz)

terça-feira, 5 de maio de 2015

Vem meu amor, vem escutar o silêncio...



No silêncio feito de esperança
tudo se perde na noite dos sonhos
que importa sermos uma só noite
a noite é a noite
e é nos meus sonhos que te beijo...

Sinto dor, meu amor
quase saudade
é a insónia nocturna da memória

Vem meu amor
vem escutar o silêncio
que a noite chega apenas para nós...

 Acorda!
aonde estão as sonhos que te ensinaram a amar...


Manuel Marques (Arroz)